O dinheiro não é ‘coisa’ do capeta

O dinheiro não é coisa do capeta

Mas, como surgiu esta expressão? Quem disse isso pela primeira vez? São Basílio de Cesareia, também chamado de São Basílio Magno, ou Basílio, o Grande, disse: O dinheiro é esterco do diabo”.

O Papa Francisco usou esta frase de São Basílio Magno em um discurso na Bolívia, em nove de julho de 2015. Disse o Pontífice: “Está-se a castigar a terra, os povos e as pessoas de forma quase selvagem. E por trás de tanto sofrimento, tanta morte e destruição, sente-se o cheiro daquilo que Basílio de Cesareia chamava «o esterco do diabo»: reina a ambição desenfreada de dinheiro. O serviço ao bem comum fica em segundo plano. Quando o capital se torna um ídolo e dirige as opções dos seres humanos, quando a avidez do dinheiro domina todo o sistema socioeconômico, arruína a sociedade, condena o homem, transforma-o em escravo, destrói a fraternidade inter-humana, faz lutar povo contra povo.

Esterco: matéria orgânica de origem vegetal misturada à terra para torná-la mais fértil. Podemos concluir: o dinheiro é o esterco, ele não é o solo e nem a planta. Sendo assim, o esterco pode ser usado em um solo bom e para uma planta boa. O problema não é o esterco: é onde ele está sendo colocado e para que ele está sendo usado.

A ambição desenfreada é um solo ruim para se depositar o dinheiro. O ambicioso pensa só em si. O ambicioso, ainda desenfreado, pode roubar, matar por ambição. Mas podemos mudar isso e depositar o dinheiro (esterco) no solo da fraternidade, da comunhão. Isso sim é fazer do dinheiro algo abençoado. Isso fará com que digamos: o dinheiro é ‘coisa’ de Deus. Veja o exemplo dos primeiros cristãos no livro dos Atos dos Apóstolos: “Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um.” (Atos 2, 44-45).

O dinheiro só é ‘coisa’ do diabo quando é usado do jeito que o diabo quer, pensa e insinua. Ao contrário, o dinheiro é uma benção, quando usado do jeito que Jesus quer, pensa e ensina: “Tendes ouvido o que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau. Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra. Se alguém te citar em justiça para tirar-te a túnica, cede-lhe também a capa.” (Mateus 5, 38-40).

O dinheiro gasto e usado do jeito certo, o ‘esterco em terra boa com uma planta que dá frutos saborosos’, pode ser fonte de salvação. Ele pode ser o meio pelo qual você vai aplicar na própria vida as virtudes do amor, da fraternidade e da partilha. Seu dinheiro nunca será ‘coisa’ do diabo se for usado do jeito de Deus.

Quero encerrar esta meditação com uma oração que nos ensina como viver e conviver com o dinheiro. Oremos:

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Projeto Junto ao Coração, favorecendo um encontro pessoal com Jesus! #pjc

Rondiney Arantes

Comunidade Coração Fiel

Administrador do Projeto Junto ao Coração

Saiba mais sobre o Projeto Junto ao Coração:

:: O que é #pjc?

:: Conheça o histórico do #pjc

:: Saiba como ajudar a Obra Coração Fiel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *