Papa: seguir o caminho da Cruz para vencer as seduções do mal

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa iniciou sua semana celebrando a Missa na capela da Casa Santa Marta. Concelebraram com Francisco os Cardeais do C9, que a partir desta segunda-feira se reúnem com o Santo Padre até 16 de setembro. Na festa da Exaltação da Santa Cruz, o Papa advertiu para as tentativas do diabo de nos seduzir e nos arruinar.

Francisco desenvolveu sua homilia partindo das leituras do dia em que, observou, o protagonista é a serpente. O Gênesis, disse, nos mostra que a serpente é a mais astuta, “é uma encantadora, e também tem a capacidade de fascínio”, de nos fascinar.

O mal seduz e encanta

A Bíblia, prosseguiu, também nos diz que “é uma mentirosa, porque o pecado entrou no mundo através do diabo, da serpente”. E esta capacidade de sedução nos arruína:

“Promete muitas coisas, mas na hora do acerto, não compensa, é um mau pagador. Mas tem esta capacidade de seduzir, de encantar. Paulo reprova os cristãos de Galácia que lhe criam tantos problemas e lhes diz: ‘Mas, tolos Gálatas, quem vos encantou? Vós que sois chamados à liberdade quem vos encantou?’. Eles foram corrompidos pela serpente. E isso não é algo novo, estava na consciência do povo de Israel”.

O Papa destaca ainda o fato de o Senhor dizer a Moisés para “fazer uma serpente de bronze” e quem a olhasse seria salva. Esta, acrescentou, é uma figura, mas também “uma profecia, é uma promessa, uma promessa não fácil de entender” porque o próprio Jesus em Nicodemos explica que “como Moisés elevou a serpente no deserto, assim é preciso que seja elevado o Filho do homem, para que quem acredita Nele tenha a vida eterna”.

Jesus assumiu sobre si todos os nossos pecados

Portanto, relevou, “aquela serpente de bronze era uma figura de Jesus elevada sobre a Cruz”.

“Mas porque o Senhor utilizou esta figura assin tão feia, tão má? Simplesmente porque Ele veio para assumir sobre si todos os nossos pecados e Ele se tornou o maior pecador sem cometer nenhum. E Paulo nos diz: ‘Ele se fez pecador por nós’, retomando a figura ‘Ele se fez serpente’. É feio! Ele se fez pecado para nos salvar, isso significa a mensagem da liturgia da Palavra de hoje, o percurso de Jesus”.

Deus se fez homem e assumiu o pecado. E Paulo aos Filipenses, “a quem ele amava”, explica este mistério: “Mesmo sendo na condição de Deus, Jesus não considera um privilégio ser como Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de servo, tornando-se semelhante aos homens; humilhou-se e tornou-se obediente até à morte e morte de Cruz”.

O caminho do cristão é abaixar-se como Jesus na cruz

Jesus disse Francisco, “aniquilou-se a si mesmo, e se fez pecado por nós, Ele que não conhecia o pecado”. Isso, comentou, “é o mistério, podemos dizer: ‘Se fez como uma serpente, feio”:

“Quando olhamos para Jesus na Cruz, – existem belas pinturas -, mas a realidade é outra: tinha tudo rasgado, estava ensanguentado pelos nossos pecados. Este é o caminho que Ele tomou para vencer a serpente no seu meio. Olhar para a Cruz de Jesus, mas não aquelas cruzes artísticas, bem pintadas: olhar a realidade, o que era a cruz naquele tempo. E olhar para o seu caminho e para Deus, Ele aniquilou-se, abaixou-se para nos salvar. Este é também o caminho do cristão. Se um cristão quer avançar no caminho da vida cristã deve abaixar-se, como se abaixou Jesus. É o caminho da humildade, sim, mas também para carregar sobre si a humilhação como carregou Jesus”.

Na festa da Exaltação da Santa Cruz, o Papa pediu então a graça a Nossa Senhora de “chorar de amor, de chorar lágrimas de gratidão porque o nosso Deus tanto nos amou que ele enviou seu Filho” para “abaixar-se e aniquilar-se para nos salvar”. (BF-SP)

Fonte: Rádio Vaticano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *