Ponto de vista

O fatídico ‘Vôo da morte’. Deus tentou nos avisar? Porque Deus não evitou?

No dia 29 de Setembro Gol. Os passageiros do vôo 1907 – 154 em total – perderam a vida antes mesmo do impacto da aeronave em terra, na divisa do Mato Grosso com o Pará. A comoção atingiu a todos os brasileiros quando os meios de comunicação, efusiva e exaustivamente trouxeram as notícias: hipóteses das causas, buscas no local do acidente, impacto internacional, familiares em pânico, a reação das autoridades… As mais diversas manifestações de solidariedade se fizeram ouvir e houve uma comunhão muito louvável. Sua Santidade o Papa Bento XVI se manifestou e a CNBB corroborou os pêsames e orações pelos familiares e pelas almas dos falecidos.

Todavia, o sensacionalismo de alguns sites, emissoras de TV e rádio, além de jornais não pouparam um alarde interessante: algumas pessoas tiveram revelações do ‘além’ avisando do acidente! Cartas escritas semanas antes. Pessoas que desistiram de voar minutos antes… crianças que ‘previram’ o acidente aéreo em que os pais viajariam.

A premonição existe de fato? Do que se trata esse fenômeno – supostamente – confirmado até mesmo por meio de cartas registradas em cartório meses antes de se confirmarem as declarações futurísticas?

Os chamados fenômenos paranormais podem ser explicados pelas diferenças de atividade cerebral entre os seres humanos. Nosso cérebro possui capacidades que nem mesmo nós somos capazes de utilizá-las completamente. Contudo, até que ponto podemos dizer que seríamos capazes de prever situações futuras? É algo bio-espiritual? É Deus? É o diabo?

A grande questão talvez não esteja em ‘o que faz o que’, mas o ‘porque’ somos tão ávidos por informações do futuro!?

A curiosidade muitas vezes pode custar caro. Com os sentimentos acorrentados por tantas tentativas de se explicar o inexplicável, encontramos pessoas que se travestem de adivinhos e profetas de calamidades. Horóscopo, Cartomantes, sessões mediúnicas de cunho espiritualista, cartas psicografadas, excessiva superstição… tudo isso pode ser um prato cheio para quem tem síndrome de catástrofes ou medo da morte… Há até quem se recuse a sair de casa se porventura ouvir no rádio que as pessoas do seu signo não devem se locomover.

Como agir nessas situações? Antes de tudo precisamos lembrar que Deus nos fez livres através do Sacrifício de Cristo na cruz. Porém enquanto estamos neste mundo, precisamos buscar a Verdade para que ela nos liberte completamente. “Conhecereis a Verdade e a verdade vos libertará!” (Jo 8,32). Mas onde está a verdade? A Palavra de Deus esclarece:

Onde está o Espírito do Senhor aí há LIBERDADE (2Cor. 3, 17). O Espírito de Deus nos ensina que Deus não é mau, que as desgraças neste mundo – como foi a queda do Vôo 1907 – não tem a sua origem em Deus, mas Ele na sua infinita bondade sabe tirar um bem até mesmo disso! Deus é a única força capaz de tirar um ‘Bem’ de uma situação de lágrima e luto. As declarações de supostos ‘videntes’ deixam entrever um certo sadismo pois apesar das ditas ‘revelações’ nada foi feito. Deus não age assim. Ele nos pede prudência e respeito. Todo o mau presente no mundo tem sua origem no pecado dos homens que altera o perfeito equilíbrio entre as forças da natureza e também o mundo espiritual que nos rodeia. Cristo se revela para gerar vida, e nunca a morte!: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a vida! (Jo 14,6).

O bom católico deve evitar buscar o conhecimento das coisas em lugares duvidosos. Primeiro pela orientação que a Bíblia nos traz (Cf. Lev. 19,26b. 31); e por último por uma questão de inteligência, somente Deus é Senhor do passado e do Futuro! Toda vez que tentamos buscar respostas fora do ambiente Divino, acabamos contaminados e escravizados pelo mal. “Para a LIBERDADE Cristo nos libertou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jogo de escravidão”. (Gálatas 5, 1).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *