VIDA DE SANTIDADE PARA O MÚSICO

Uma nota fora do contexto, um instrumento com afinação diferente, um compasso fora do ritmo. É exatamente a isso que se compararia um ministro da música do Senhor desinteressado pela própria santificação. O desejo de santidade é já um caminho para a mesma. Santo não é aquele que não tem pecados; é aquele que jamais desiste de lutar contra eles! Um ministro da música/arte que deixasse de viver o sonho da santidade, trairia a origem da inspiração e o próprio brilho da arte que expressa.

Como se fosse um cristal através do qual se pode contemplar o horizonte, assim deve ser o ministro do Senhor que o apresenta através da canção ou da arte. Toda a nossa realidade humana tende a isso. Basta pensar o quanto nos frustramos quando nos pautamos nas coisas desta terra. Se as coisas deste mundo não são capazes de nos satisfazer totalmente, isso é um indício claro de que não fomos feitos para este mundo. Nascemos eternos. Temos uma alma eterna. Nossos anseios são eternos. A trilha sonora da nossa existência tem acordes e harmonias que começam aqui e atingem o seu clímax no além; diante do Senhor Deus. Exatamente por isso, deixar de trilhar o caminho da santidade é igual a trair a própria essência. Quem luta pela santidade está a caminho da maturidade. O homem/mulher maduro na vida é igualmente maduro na fé.

A busca pela santidade, porém, não pode ser incitada a não ser por obra de Deus. É Ele quem opera em nós o querer e o operar! (cf. Fl. 2,13). O desejo de santidade deve ser um sonho a ser perseguido. A Igreja sabe que precisamos de ajuda; exatamente por isso nos aponta vários meios para tal. Além da Direção Espiritual, os meios ordinários para caminhar na santidade podem ser: a oração, a penitência, a vida sacramental assídua, as boas leituras, a convivência e amizade com pessoas que nutrem o mesmo ideal de Imitação de Cristo. Acima de tudo, não tenha medo de ser santo! Absurdo é esperar que se possa ser feliz plenamente, longe do ideal para o qual fomos criados. Você é a composição mais linda que Deus criou. Teu nome é apenas o título, o subtítulo é ‘santidade’!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *