Viver a pascoa no Ano da Misericórdia

Surge na igreja o tempo litúrgico mais importante do Ano da Misericórdia: a Páscoa! Etimologicamente, o termo Páscoa se originou a partir do latim pascha,que por sua vez, deriva do hebraico pessach\pesach,que significa “a passagem”. Segundo o capitulo 12 do livro do Êxodo, o senhor pediu que fosse imolado um cordeiro sem defeito,por família,que deveria ser comido” às pressas,pois é páscoa,isso é, passagem do Senhor!”(ex 12,11b). Em seguida,o Senhor,em sua “passagem”,feriu os primogênitos egípcios, preservando as casas do povo hebreu marcadas com o sangue do cordeiro e os libertando da escravidão do Egito. Dessa forma,o povo hebreu também realizou  a “passagem” de uma vida de escravidão para a liberdade.

Não foi por acaso que a morte e ressurreição de Jesus aconteceram justamente na celebração da páscoa judaica.Jesus é o cordeiro de Deus que foi imolado em nosso lugar, venceu a morte e ressuscitou ao terceiro dia. Aqueles que creem que Jesus é o Messias e colocam em prática seus ensinamentos,são marcados com o sangue do cordeiro, e fazem a “passagem”de uma vida de escravidão do pecado para a liberdade. A morte também é transformada em uma “passagem” para a vida eterna.

Viver a Páscoa no Ano da Misericórdia também significa tomar uma decisão radical de abandonar a vida velha,praticada até aqui e abraçar a vida nova em Cristo! Nossos corações endurecidos,petrificados,orgulhosos e  egoístas devem fazer a “passagem “,ou melhor serem transformados em corações misericordiosos, amorosos,mansos e humildes,como o coração de Jesus. Não é possível,por exemplo,celebrar a Páscoa  desse Ano Santo com o mesmo coração de antes,insensível em relação aos pobres,pequenos, simples,doentes e excluídos.  O Papa Francisco nos diz: “Redescubramos as obras de misericórdia corporal: dar de comer aos famintos,dar de beber aos sedentos,vestir os nus,acolher os peregrinos,dar assistência aos enfermos,visitar os presos,enterrar os mortos. E não esqueçamos as obras de misericórdia espiritual: aconselhar os indecisos,ensinar os ignorantes,admoestar os pecadores,consolar os aflitos,perdoar as ofensas,suportar com paciência as pessoas molestas,rezar a Deus pelos vivos e defuntos.”(Misericordiae Vultus 15).

Concluindo,é bom dizer que o Evangelho de São Mateus,no capítulo 25,deixa claro que seremos julgados de acordo com as Obras de Misericórdia que praticamos,de coração  aberto e sincero. Portanto,que a bem aventurança “felizes os misericordiosos,porque alcançarão misericórdia” (Mt 5,7) nos inspire a viver e praticar misericórdia com os necessitados, a partir desta Páscoa do Ano Santo. Feliz Páscoa a todos!

Claudio Chaves

discípulo de Aliança

Comunidade Coração Fiel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *