Tecnologia permite decifrar fragmento de Levítico

EPA1802322_Articolo

Jerusalém (RV) – Graças ao uso da tecnologia de vanguarda foi possível ler um dos mais antigos manuscritos da Bíblia contendo os primeiros versículos do Levítico. O fragmento do Antigo Testamento foi descoberto em Israel em 1970, na antiga Sinagoga de Ein Gedi, localizada em um oásis nas proximidades do Mar Morto.

Os fragmentos remontam ao século VI a.C. e medem cerca de 7 cm. Nunca haviam sido lidos nem decifrados, pois estavam carbonizados. Com o auxílio de novas tecnologias, no entanto, foi possível desenrolar “digitalmente” o papiro e ler assim os primeiros versos do terceiro livro da Torah (e da Bíblia cristã).

“Remonta há 1.500 anos e é o primeiro documento do gênero de que dispomos”, explica Pnina Shor, Diretora da Agência israelense para os Bens Arqueológicos. “Basta ver as condições em que se encontra para entender porque foi necessário tanto tempo para decifrá-lo. Está completamente carbonizado, pois não somente a sinagoga foi destruída pelas chamas, mas também a arca e a bíblia que o conservavam”.

A transliteração e a tradução do precioso texto foi um verdadeiro desafio e demandou 40 anos de estudos e tentativas. “Tentamos de várias maneiras nestes anos todos, mas sem sucesso. E esta é outra lição: não se deve nunca perder a esperança”, comentou por sua vez Sefi Porat, arqueólogo da equipe que em 1970 trouxe à luz as ruínas de Ein Gedi. (JE/Ansa)

Fonte: Rádio Vaticano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *