57ª Assembleia Geral Ordinária da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

Aconteceu entre os dias de 1º a 10 de maio, em Aparecida (SP), a 57ª Assembleia Geral Ordinária da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Neste ano foram dois elementos fortes na pauta. A saber: a aprovação das novas diretrizes gerais da evangelização; e a eleição da nova direção da CNBB.

A preocupação da Igreja, com as novas diretrizes, não é com a quantidade, mas com a qualidade de cristãos que, tendo feito a experiência do encontro com cristo, sejam testemunhas da alegria no mundo carente de sentido. Esta afirmação é de dom Leomar Brustolin, bispo auxiliar de Porto Alegre (RS) e membro da Comissão de redação do tema central da 57ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

O eixo fundamental das novas diretrizes, segundo ele, é a recuperação do sentido da casa. “A imagem da casa tem um sentido pedagógico e é entendida como lar e espaço de vida”, disse. A casa, no texto das diretrizes, é entendida como comunidade eclesial missionária sustentada por quatro pilares:

A Palavra – que aprofunda a iniciação à vida cristão e a iniciação bíblica e a ideia de ter comunidades fundadas em torno da palavra;
O Pão – que aprofunda a liturgia e a busca por viver a espiritualidade rumo à santidade  tal como defende o papa Francisco em sua exortação Gaudete et Exsultate que personaliza a fé mas leva ao encontro do outro;
A Caridade – Baseado no que disse Paulo VI na ONU: “Que a Igreja é especialista em humanidade”, o texto das diretrizes aponta a necessidade das comunidades se preocuparem com os que mais sofrem e a defesa da vida em todos os sentidos;
A Missão – A exemplo do que pede o papa, o sentido da comunidade se realiza quando ela sai em missão e vai ao encontro das periferias existenciais.

O bispo falou da importância de pensar diretrizes para assegurar a comunhão e a colegialidade na Igreja  no Brasil.  “Como pensar a Igreja no Brasil, um país continental? Por isto é necessário ter um parâmetro”.

Por meio de eleição durante a 57ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), os bispos escolheram os novos presidentes das Comissões Episcopais Pastorais que estarão à frente de cada uma delas durante o próximo quadriênio (2019 – 2023).

Os novos dirigentes da CNBB foram eleitos e passa a presidir a instituição, o arcebispo de Belo Horizonte (MG), Dom Walmor Oliveira de Azevedo. Pela primeira vez, a partir desta eleição, a entidade terá dois vice-presidentes. Para os cargos foram eleitos o arcebispo de Porto Alegre (RS), Dom Jaime Spengler, e o bispo de Romaria, Dom Mário Antônio da Silva. Já o novo secretário-geral da Conferência é o Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro (RJ), Dom Joel Portella Amado.

Além da nova presidência, também foram eleitos os presidentes das Comissões Episcopais Pastorais e os bispos que vão representar o Brasil no Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM). Após a eleição, eles passam a integrar o Conselho Episcopal Pastoral (CONSEP), responsável por coordenar as atividades ligadas à ação pastoral da CNBB.

Fonte:  http://www.cnbb.org.br/            https://www.a12.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *